terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Pré Temporada 2012: Os Grandes que Sofrerão (2ª Parte)

Continuamos nessa sessão as análises dos times que disputarão o Brasileirão 2012.
Destrinchando os elencos, contrações, situações políticas e psicológicas. Depois de entendermos no último post quem são aqueles clubes que pertencem ao Limbo, vamos olhar de perto as 12 esquadras intituladas de grandes no futebol brasileiro. As separamos em 3 grupos de 4, e hoje temos:


Os Sofredores: 4 grandes problemáticos
Este será o post dedicado a entender aqueles times que têm feito de tudo para enfrentar a temporada da pior maneira possível. Como e porque cada um deles deve sofrer ao longo do ano? É bom os torcedores desses times se prepararem psicologicamente para mais de 60 jogos duros que estão por vir. Começamos na ordem do mais sofrível para o menos.

12º Grande: Cruzeiro Esporte Clube (Minas Gerais) 

Situação Psicológica: depois de uma temporada cheia de altos e baixos em 2011, a Raposa mais Linda do Mundo está quebrada. Atolado em dívidas e comandado por um Presidente um tanto quanto estranho, o Cruzeiro trouxe vários novos nomes para o elenco, nenhum, no entanto, que possa aliviar os temores da China Azul. Nem a manutenção de Montillo, grande craque celeste, parece ser boa. Ninguém sabe como o jogador, que afirmou querer jogar pelo Corinthians, irá se comportar dentro de campo. O clima é de desconfiança.

Negociações: para 2012 o Cruzeiro trouxe Mateus (zagueiro), Diego Arias (meio-campo), Marcelo Oliveira (meio-campo), Gilson (lateral), Amaral (volante), Rudnei (volante), Thiago Carvalho (zagueiro) e Walter (atacante). Oito contratações no total.
O clube ainda deve receber de empréstimos terminados mais nove jogadores. Dentre os principais estão Kieza (atacante), Pedro-Ken (meio-campo) e Apodi (lateral). Esses são nomes que ainda não estão confirmados.

A diretoria ainda negociou a saída do ídolo da torcida, Fabrício (volante) – que vestirá as cores do São Paulo este ano –, Marquinhos Paraná (volante), Charles (volante), Naldo (zagueiro), Ortigoza (atacante) e Keirrison (atacante).

Roger: o físico já não é mais o mesmo
O problema da lateral irá persistir nessa temporada, nem Gilson nem Apodi devem resolver o problema. A meia cancha também está comprometida. O novo volante Amaral terá de se provar muito eficaz para ser um substituto à altura de Fabrício. É pouco para quem há um ano contava com o bom Henrique e o próprio Fabrício. A parte criativa ainda é um mistério, com Roger já se afirmando incapaz de jogar vários jogos seguidos e Montillo chateado com o Presidente Gilvan, a responsabilidade recai toda sobre o desconhecido Diego Arias, reforço trazido do PAOK da Grécia e sobre o mediano Marcelo Oliveira, vindo do Atlético-PR.

O Ataque terá a volta de Wallison, contundido ainda na Libertadores de 2011. É uma boa notícia, mas não o suficiente. A dupla de avançados, que deverá ser formada por Walisson e Walter, não impressiona nem mete medo nos adversários. Não por enquanto, pelo menos.
Para aumentar a desconfiança, o clube será regido pelo inconsistente Wagner Mancini, contratado às pressas para salvar o time do rebaixamento. Fez um bom trabalho em novembro e dezembro, mas não se espera dele times competitivos o suficiente para perdurar ao longo do Brasileirão todo.

Talvez, o único ponto sólido nesse time do Cruzeiro seja a defesa. Chefiada pelo experiente Victorino e defendida pelo ótimo goleiro Fábio, ambos identificados com a massa azul, este é o último setor com que a diretoria deve se preocupar no momento.
Portanto, cruzeirenses, façam seus exames de coração e tomem conta da saúde, 2012 promete ser um ano difícil para vocês.

Palpite: 3º no Mineiro; Oitavas na Copa do Brasil; 17º no Brasileiro (rebaixado).



11º Grande: Sociedade Esportiva Palmeiras (São Paulo)

Situação Psicológica: Kléber, o gladiador, foi embora, levou com ele o racha no elenco e o Palmeiras pôde desfrutar de um final de temporada mais calmo. Mas, foi só virar o ano, que as coisas pioraram. Os reforços escassos e a seca de conquistas provocaram a ira dos torcedores organizados. A pressão por títulos promete deixar o elenco fraco sob risco de crise à primeira derrota. Isso tudo ainda vem em dias que o ENORME São Marcos abandona os gramados, deixando os palmeirenses desorientados sem um ídolo.

Negociações: o Palestra Itália abriu pouco os cofres, trouxe apenas: Daniel Carvalho (meio campo), Román (zagueiro) e Juninho (lateral).
O time ainda deve contar com Wendel (volante), que retorna do Atlético-PR.
Deixaram o clube três jogadores: Rivaldo (meio campo), Gabriel Silva (lateral) e Kléber (atacante).

Felipão terá mais um ano difícil à frente do Palmeiras
Análise: o Palmeiras está mais fraco que na temporada passada. As perdas podem não ser grandes para outros clubes, mas no caso alviverde são. A diretoria, sem dinheiro para investir, não consegue trazer reforços que possam transformar o time. Por isso, o Palestra terá, por mais um ano, que se sustentar na habilidade do técnico Felipão em tirar mais do que os jogadores podem dar e na técnica de bolas paradas do novo capitão, Marcos Assunção. Há quem diga que El Mago Valdívia é peça importante. Poderá ser se voltar a jogar bem, por agora, é apenas mais um.
O Palmeiras é time para brigar pela permanência da séria A este ano. Com isso em mente, palmeirense, relaxe, leve seu filho e esposa no campo, aproveite os dias de futebol, não pense em títulos.

Palpite: 5º no Paulista; Oitavas da Copa do Brasil; Segunda Rodada na Sul-Americana; 15º no Brasileiro.


10º Grande: Clube Atlético Mineiro (Minas Gerais)

Situação Psicológica: após mais uma temporada ruim, poucos são os que depositam esperanças no Atlético-MG. A diretoria perdeu confiança após anos montando bons times e trazendo técnicos de qualidade. Mas, o pior ainda são as seqüelas do último jogo contra o arqui-rival Cruzeiro pelo Brasileirão 2011. A derrota rachou o clube entre aqueles que acreditam em uma jornada ruim e aqueles que têm certeza de corpo mole feito. O clima é ruim e as contrações não são significativas.

Negociações: O Galo traz reforços pontuais para o elenco enfraquecido. Rafael Marques (zagueiro), Escudero (volante), Marcos Rocha (lateral) e Danilinho (atacante). O grande feito foi conseguir manter o volante Pierre com a camisa alvinegra.
Ainda são esperados da volta de empréstimos os jogadores Nikão (volante) e Sheslon (lateral). No entanto, ambos não deverão ser utilizados pelo técnico Cuca.
O problema é que peças chaves na bela arrancada para escapar do rebaixamento, estão deixando o clube, como: Daniel Carvalho (meio-campo) e Magno Alves (atacante). Os que seguem são Gilberto, Marquinhos Cambalhota, Didira, Toró e Leandro.

Será Cuca capaz de montar um time campeão com tão pouco?
Análise: com um time que se acertou dos volantes para trás nas últimas rodadas do Brasileirão, principalmente pela chegada de Pierre e da volta do bom futebol do zagueiro Réver, o Atlético-MG sonha com uma temporada mais segura. Sem ser saco de pancadas.
Porém, o elenco continua fraco, sem meio campo e com um ataque fragilizado. A volta de Danilinho tem animado os torcedores, mas ele sozinho não carregará o Atlético-MG nas costas, não é tão bom jogador assim. O banco de reservas é fraco e não deve sustentar a longevidade do Brasileiro.
Somado a isso tudo, o técnico Cuca não tem grandes conquistas no currículo. É considerado um bom treinador, mas é difícil contar com ele para títulos. Constantemente se mostra nervoso em decisões, o que acaba por influenciar o time em campo.
Atleticanos, respirem fundo e aproveitem o Campeonato Mineiro com a volta do Estádio Independência e os jogos a Belo Horizonte, por que o resto será puro sofrimento.

Palpite: Campeão Mineiro; Quartas da Copa do Brasil; 12º no Brasileiro.


9º Grande: Botafogo de Futebol e Regatas (Rio de Janeiro)

Situação Psicológica: o fim de ano da Estrela Solitária foi melancólico. Apesar de todos enxergarem um time limitado e entender que o ano fora bom para o Botafogo com os resultados obtidos, diretoria e torcida fraquejaram. Uma crise besta derrubou o bom trabalho de Caio Jr. e colocou enorme pressão sobre o elenco para esse ano. Ávidos por títulos num estado em que só o Botafogo não ganha, qualquer tropeço poderá desencadear tempos ruins e novas trocas no comando do Bota. Para piorar, não foram feitas melhoras relevantes no plantel.

Negociações: chegam ao Fogão apenas dois novos zagueiros: Rojas e Brinner. E junta-se a eles o meio campista Andrezinho.
O clube carioca não espera nenhum retorno relevante dos empréstimos. E, quanto as saídas, apenas a de Bruno Cortês (lateral), será sentida.

Loco e Bota terão de ser mais regulares em 2012
Análise: o Botafogo mexeu pouco no plantel que, se não é fraco, também não é forte. O que significa que não se pode esperar o final dos apagões de ataques resolvidos ou das falhas defensivas. Loco Abreu, Elkeson, Maicosuel e Herrera não são confiáveis para uma longa temporada. Assim como o novo reforço Andrezinho. São todos bons jogadores, mas provaram viver de lampejos. Este é um elenco que, como um todo, deverá oscilar muito ao longo do ano. Em alguns momentos, poderá fazer frente aos principais times, mas, ao final, deve acabar atrás dos times do Rio, São Paulo e Rio Grande do Sul.
O Bota ainda enfrentará dois grandes adversários esse ano: sua diretoria invejosa, que olha ao seu redor, vê os competidores cariocas um nível acima e se sente na obrigação de fazer algo, mesmo que estúpido. A mesma regra segue para a torcida, que não agüenta mais ver os rivais em posições melhores e deve pressionar bastante os atletas esse ano.
O Botafogo é time para brigar por Libertadores esse ano, mas muitas coisas precisam se encaixar. Deve terminar com vaga na Sul-Americana.
Portanto, botafoguenses, não importa o que aconteça nesse começo de ano, empurre seu time a vitórias na Copa do Brasil e curta o futebol europeu.

Palpite: 4º no Carioca; Finalista da Copa do Brasil; Quartas na Sul-Americana; 10º no Brasileiro.



Confira quinta-feira o terceiro post da série: Os Grandes que Lutarão!

Ciao!

2 comentários:

Sergio disse...

Eu colocaria o Flamengo nesse post tambem, aliás, até trocaria o Botafogo pelo Flamengo, não que o bota seja capaz de algum titulo, mas sim que o Flamengo da provas que esse ano será um ano terrível, com script de filme de terror, com briga pela queda no Brasileirão, um campeonato carioca irregular principalmente por que perderá algumas rodadas dando prioridade a Pré-Libertadores, que vai a Bolivia jogar na altitude e sem Thiago Neves que foi para o Flu, sem Alex Silva que se recusa a jogar devido a atrasos de salário, R10 o craque do time não sabe se joga tem um valor alto a receber e que está fazendo um papel que demonstra que não esta nem ai para ninguém, só demonstra sua fraqueza, o jogador que é o que menos precisa é o que mais cobra, mas não a favor do grupo apenas a sua causa, jogador que goza de regalias dignas de um jogador do seu calibre mas que não vem demonstrando em campo (no último jogo contra o Corinthians no amistoso, foi o jogador que menos correu em campo) seria corpo mole?

Esse mesmo time que não contratou ninguém e que está em uma briga e ridícula e digna de time pequeno por TN7, segue com seus salários atrasados e jogadores insatisfeitos, lideres de grupo como Leo Moura, Renato e Felipe já se mostraram contra o que a diretoria está fazendo por Ronaldo e Thiago e dão indícios que o clima está pesando..

acredito que o Flamengo terá um ano looongo e que a libertadores ficará longeeee esse ano.

17 de jan de 2012 09:51:00
Danilo Picucci disse...

De fato o Mengo está entrando em uma espiral de problemas que podem afetar seriamente o desempenho do time.....se ainda tiver um time daqui 2 semanas :s

Mas concordo com o Tiago quando ele bota o Botafogo aqui, a confiança da diretoria nesse grupo medíocre parece infinita, é um grupo brigador mas que não inspira ambição nenhuma.

Fica a dúvida, pra onde foi a caralhada de dinheiro que o Tricolor Paulista pagou pelo Cortês? ;)

17 de jan de 2012 15:47:00

Postar um comentário

Participe!
Deixe seu comentário!

Não serão permitidos comentários ofensivos, preconceituosos ou que contenham Spam e conteúdo impróprio.